Archive for Print da semana

Print da semana: Paisley

Paisley é um motivo de origem persa e indiana, em forma de gota ou semente, comum no Irã e em países do sul e centro da Ásia. É conhecido em persa como Boteh Jegheh e tem sido utilizado no Irã desde a Dinastia Sassânida (224 a 651 d.c).

As importações provenientes da Companhia das Índias Orientais, na primeira metade do século XVII, fez o paisley e outros padrões extremamente populares, de uma maneira que a Companhia não foi capaz de importar o suficiente para atender a demanda. Já no século XIX, os tecelões de Paisley, uma cidade na região central da Escócia, tornaram-se um dos principais produtores de xales de lã da Caxemira em teares manuais. Daí deriva o nome ocidental da estampa! Além disso, a cidade tornou-se um local-chave para a fabricação de algodão e outros tecidos impressos.

Nos anos 60 e 70, o padrão paisley foi fortemente identificado com o estilo psicodélico e o interesse na espiritualidade, provocado, dentre outras coisas, pela peregrinação dos Beatles pela Índia. Assim, voltou com força total à cena fashion.

Recentemente, a estampa foi revisitada e ganhou muitas cores, novos formatos, sendo amplamente utilizada por estilistas ao redor do mundo, tais quais Jil Sander, Stella McCartney, Jonathan Saunders, JW Anderson, Haider Ackermann e Clements Ribeiro, em suas coleções atuais.

Os artigos de decoração acompanharam essa moda e é possível encontrar todo tipo de objeto com essa estampa. Eis uma seleção para inspiração:

Imagens: aqui e aqui

Gostaram? Já viram qual é a estampa do mês de junho de Kate Spade?

 

Print da semana_Batik

Voltando ao nosso Print da semana, vou introduzir aqui uma padronagem chamada Batik. Numa viagem a Bali, pude ver tecidos maravilhosos estampados com essa técnica e inclusive acompanhei um pouco o processo de produção artesanal.

Batik (ou batique) é uma técnica de tingimento em tecido artesanal. Esta técnica é originária da ilha de Java na Indonésia.

A Indonésia foi o berço do Batik, forma de expressão artística que consiste em desenhar com cera quente sobre o tecido e em seguida tingí-lo com cores variadas, que lhe confere uma impressionante beleza. A técnica do Batik tem como característica singular o efeito da cera, que se parte em alguns lugares deixando um craquelê no desenho, o que acrescenta um toque especial no trabalho dos artistas.

O processo é totalmente feito á mão, desde o desenho inicial feito a lápis no tecido de algodão ou seda branco, a aplicação da cera com um instrumento chamado “canting” (que se assemelha a uma caneta com cabo de bambu e um pequeno recipiente de cobre para armazenar a cera) ou com “carimbos” feitos de madeira esculpida (quando trata-se de uma estampa corrida), os sucessivos banhos para cada tingimento do tecido até o banho final em água fervendo para remover os resquícios de cera do tecido.

O resultado final é maravilhoso: os desenhos cheios de detalhes e as cores provenientes de corantes naturais dão a cada pedaço de tecido um valor único. As tonalidades  típicas dos batiks autênticos são beige, azul, marrom e preto.

Os batiks produzidos hoje já utilizam outros corantes e muitas vezes são mais coloridos e apresentam desenhos diferenciados.

Estes tecidos originalmente produzidos para a confecção dos sarongues (vestimentas típicas de Indonésia), hoje são utilizados em acessórios de decoração como almofadas e colchas. Além disso, esta padronagem muitas vezes é aplicada através de outra técnica em louças, móveis e fibras naturais.

 

 

Adoro o toque étnico que estas estampas trazem para a decoração dos ambientes!

Print da semana: Liberty

A estampa é uma referência à  Liberty of London, loja que abriu suas portas em 1861, na Inglaterra. Sua estamparia com flores tornou-se um sucesso, o que fez com que ela se popularizasse.  O termo “estampas liberty “ também é usado para designar toda padronagem de florais miúdos.

 

O revival desta estampa nas coleções de verão nacionais e internacionais tem relação com a crescente busca de uma conexão com a natureza. Associada a um estilo fresh e mais romântico, aparece normalmente em camisas, vestidos, acessórios e costuma ser usada numa composição de vários florais.

A Liberty of London e seus florais adquiriu grande força no mercado fashion. Atualmente, diversas grifes têm parcerias oficiais com a marca. Em 2010, a Target, cadeia de fast-fashion, lançou uma coleção em conjunto com a marca inglesa, que ia de vestidos e artigos para a casa até uma bicicleta, objeto de desejo para a tribo mais descolada.

 

A M.A.C. lançou, também no ano passado, a coleção limitada Give Me Liberty of London, que traz não só um make up bacana, como as embalagens personalizadas com prints de flores e passarinhos.

Já falamos aqui da parceria com a Nike, que fez o maior sucesso e promete se prolongar. Em 2009 a Super, grife italiana de óculos, também lançou alguns modelos com as famosas estampas.

E aproveitando disso, a própria loja, que concretiza bem o mix entre o tradicional e o contemporâneo, vem lançando a cada estação novas estampas e produtos. Destacam-se a linha de acessórios para os gadgets da Apple e os relógios Knot.

Fonte: GNT, Minas de Ouro, blog da Liberty

Imagens: Google Images

Print da semana: Toile de Jouy

TOILE DE JOUY  em francês é uma expressão onde: toile = telas ou tecido & Jouy = uma pequena cidade no interior da França, na verdade Jouy-en- Jousas.      

O tecido de algodão ou linho estampado, fabricado nesta cidade da França, tem desenhos que reproduzem cenas campestres, bucólicas, florais ou cenas históricas.     

Inicialmente eram feitos sobre base branca ou cru e em cores monocromáticas, na maioria das vezes em tons de azuis, vermelhos, verdes, pretos ou amarelos.     

O sistema de impressão foi desenvolvido por Christopher-Philippe Oberkampf, em Jouy-en -Jousas, local perto de Versalhes, no século XVIII. Nessa ocasião, a rainha Maria Antonieta escolheu essa estampa para revestir as paredes do palácio. Mais tarde, a estampa passou também a retratar cenas burguesas, fábulas e episódios históricos.     

     

Então o tecido passou para a história como Toile de Jouy (tela de jouy)… Hoje em dia o nome serve para identificar tanto o tecido quanto a estampa, e aparece com novas interpretações, como por exemplo, aplicado em outras superfícies ou em outras cores mais atuais.   

  

Esta estampa também aparece como tendência no mundo da moda… A marca Threadless fez uma parceria com as nossas Havaianas e lançou uma dobradinha camiseta + chinelo com esta famosa estampa! Sucesso total!    

 

     
E a Opening Ceremony, loja multimarcas de moda americana, lançou, no ano passado, uma nova versão do famoso tênis Keds com a estampa personalizada pelo artista Richard Saja. O artista tornou-se conhecido por contextualizar os tecidos toile, bordando figuras bem coloridas sobre as estampas.    
    
Toile já foi tema também do lounge SPFW Verão 2010, em homenagem ao ano França-Brasil. Os cenógrafos estamparam tampos de mesas e cadeiras com uma padronagem personalizada de ícones dos dois países, como o Cristo Redentor e a Pirâmide do Louvre. Outro trabalho atual explorando esta estampa é o do estúdio escocês Timorous Beasties, que desenhou papéis de parede toile-de-jouy retratando cenas das cidades européias e sempre em cores fortes como o pink da cômoda abaixo.  
  
 E por último não poderia deixar de falar da nossa dupla da Again (lembram?) que já criou vários toile-de-jouy bem brasileiros, homenageando, por exemplo, o Rio de Janeiro e Trancoso.  
   

Li aqui: Karla Krause , Commode e Daniela Brum 

Imagens: divulgação e Google Images 

Print da semana: Navajo

Terminadas as semanas de fashion week (nacionais e estrangeiras), já conseguimos filtrar muita coisa e selecionar o que é bacana e o que pode virar tendência. O que andei vendo em todo lugar e que me chamou muita atenção são as peças com estampas étnicas, baseadas nas roupas típicas usadas pelas tribos dos índios navajos.

Os navajos são uma tribo indígena norte-americana que vivem em uma reserva no nordeste do Arizona que continua em partes do Novo México e Utah. Eles serviram de inspiração para fashionistas, blogueiras e diversas grifes, que lançaram suas coleções com os típicos desenhos geométricos, no formato de losangos e muito coloridos. Alguns exemplos são a Asos, a Me&Arrow, a Rehacer em parceria com Doctor Martens e com a AnoutCommune, além da Zara, que lançou vários casacos na coleção de outono/inverno 2010 e da parceria Pendleton+Vans, que resultou em dois modelos bem tradicionais de tênis com Navajo print.

A Pendleton, inclusive, tem como marca registrada, as peças com estampas Navajo!

A colaboração Pendleton Meets Opening Ceremony Fall/Winter 2010, produziu looks simpáticos, como podemos ver no lookbook!

Para os interessados em itens de decoração, a Urban Outfitters comercializa uma linha de produtos para casa com o print-Pendleton e pode-se escolher entre toalhas e cobertores, com um preço bem amigo!

Aqui no Brasil, a marca Triya se adiantou e apresentou a moda praia com essa estampa:

Acho que essa moda pega!

Fotos: Reprodução

Print da semana: Ikat

Derivada da palavra malasiana mengikat, que significa amarrar, dar um nó, ikat é o nome de um estilo de tecer e do tecido em si _ produzido por comunidades da Ásia Central. A sabedoria consiste em tingir fios de seda ou de algodão, amarrados em “mechas” _ num processo semelhante ao tie-dye_, antes de tecê-los para formar desenhos coloridos e gráficos.

A produção de ikat explodiu no século 19, quando os países da região enriqueceram e as cidades se multiplicaram. Elétrico e vivo, o ikat era símbolo dessa energia urbana. Nas roupas, funcionava como marcador de status. Em casa, cortado em metros, decorava paredes. Em lugares como Samarkand e Bukhara, no atual Uzbequistão, e Cabul e Kunduz, no Afeganistão, bairros inteiros se dedicavam ao tingimento, à tecelagem, à amarração e ao desenho do tecido.

Pelo fato dos desenhos serem formados pelas tramas dos fios tingidos (diferente dos tecidos estampados), criam um efeito meio “manchado”, tornando cada padronagem única e vibrante!

Este tipo de tecido sempre aparece como tendência na moda e na decoração…

São aplicados nos mais diferentes produtos e reproduzidos em echarpes…

Em louças, como desse aparelho de jantar super charmoso da marca VivaTerra!

Em almofadas bem coloridas!

Esses chinelos turcos utilizam retalhos de ikats originais…

Estas bolsas da designer Madeline Weinrib, que produz os tecidos com as antigas técnicas artesanais do sudeste asiático…

Poltrona de estilo estofada com um ikat P&B+ sofá de linhas retas+ mesas de centro ebanizadas + tapete de pele de vaca + luminária retrô = decoração com bossa! Adoro!

Fotos: designboom – NJ Charters – Kay Faulkner – The Craft Begins – Elle Decor Lotus Haus – Daniela Brum – Patch NYC – VivaTerra – Wallace Cotton – Hanimefendi – Madeline Weinrib – design babylon interiors

Print da semana: Unikko

Unikko é a mais emblemática estampa da marca Marimekko. Ela foi criada por Maija Isola, pioneira designer finlandesa, como um protesto contra a declaração de Armi Ratia, criador da marca, de que a Marimekko não fabricava estampas florais.

A Unikko surgiu em 1964, um padrão com um toque pop, colorido, impactante e chamativo, que inaugurou uma nova era da Marimekko, cuja popularidade só aumentou com o tempo.

Novas paletas de cores são criadas a cada ano para a Unikko, dando continuidade ao legado do design brilhante de Isola. Atualmente, Kristina Isola segue os passos da mãe e desenvolve seus próprios projetos e trabalhos como designer gráfica, além de ser a responsável pelas adaptações dos antigos padrões, com destaque para o Unikko.

Existem diversos produtos que são comercializados hoje em dia com a famosa estampa, que dá sempre um toque de graça aos objetos… na verdade, na loja online Marimekko é possível comprar todos os tipos de produtos – incluindo papel de parede, cortinas, toalhas, bolsas, bules, e até mesmo meias e guarda-chuvas!

Em 2009, a Avon criou uma série de cosméticos com a estampa, que foi adaptada!

E vocês, gostam?

Fotos: Reprodução

Print da semana: Chevron

Hoje começo uma outra “coluna” aqui do blog! Nela falaremos de alguma padronagem ou pattern. E para começar apresento o: Chevron!!! Essa estampa que também é conhecida por nós como ZigZag anda bem na moda ultimamente. Apesar de ser uma padronagem geométrica, clássica e geralmente impressa em dois tons, pode adquirir uma “cara” mais moderninha quando aparece em versão maxi ou em cores chamativas como pink/branco ou mesmo no tradicional preto/branco.

Mas pra falar a verdade o primeiro exemplo dessa estampa que me veio a cabeça foi o  tradicional tricot todo colorido da Missoni!

A Rubie Green, marca de tecidos e acessórios para a casa, que pertence a Michelle Adams, uma das editoras da extinta revista de decoração Domino, tem exatamente essa sacada de lançar algumas padronagens clássicas com um ar mais fresh…

Via Decor8

Via Rubie Green

E tem mais Chevron na cortina (via Loony Magazine)…

Em P&B no tapete (via Belle Maison)

Em utilitários super fofos (via The Love List)

Olha esses cartões, que charme! (via Made by Girl)

E tem mais… (via High-Heeled Foot in the Door)

 

Li sobre isso em Living Gazette, Decor8 e Made by Girl.