Archive for Imprimindo por aí

Out System – Papel de Parede para Exteriores

Out-System_01

 A marca italiana Wall&Decó lançou, ano passado, uma linha de revestimentos para área externa. Aliando tecnologia e criatividade, a linha Out, torna possível levar o toque decorativo dos papéis de parede para qualquer superfície.

 O novo revestimento é formado por 3 camadas: o adesivo que fica em contato com a superfície, o tecido técnico que recebe a impressão do desenho e a camada mais externa com proteção às intempéries e à umidade. Outra característica interessante do revestimento é que ele adere em qualquer superfície, mesmo naquelas com irregularidades.

 Com este produto, os arquitetos e designers podem mudar completamente uma fachada ou parede, com inúmeras possibilidades de desenhos e cores! E em certas situações aplicar a textura de um material que inicialmente não seria indicado para a área externa, como é o caso da madeira e do tecido.

Out-System_05

Out-System_02

Antes de lançar os seus produtos, a Wall&Decó faz muita pesquisa de tendências além de trabalhar em parceria com talentosos designers, como o italiano Gio Ponti. O resultado, no caso da coleção Out, são padronagens geométricas, patchwork de estampas, texturas de materiais e imagens gráficas com apelo artístico (Pop Art).

Out-System_04

Out-System_03

 Vamos estampas nossos muros e fachadas? Levar o papel de parede para fora das casas?

Out-System_07

Out-System_06

Vi aqui!

Imagens: divulgação Wall&Decó

Million Dollar Design

Million-Dollar-Design-01

O estúdio Million Dollar Design é formado por uma dupla de ilustradoras holandesas. O trabalho delas é bem interessante. Elas utilizam várias técnicas de ilustração, pintura e fotografia para criar os elementos individuais que serão usados nas padronagens. Depois utilizando os softwares de criação gráfica, elas reunem estes elementos e criam as repetições. O resultado final é bem rico!

A dupla também é bem versátil, suas estampas aparecem em diferentes superfícies: almofadas, tecidos, papéis de parede, móveis, skins para eletrônicos, além de editoriais de revistas e websites. Na sua loja on-line, dá para dar uma conferida nos produtos, parte deles é produzida em parceria com outras empresas, como a Spoonflower, que faz impressão digital em tecidos.

Seu trabalho mais recente foi repaginar os vagôes do metro em Amsterdam. Para isso, elas adesivaram as superfícies internas com imagens de um fundo do mar cheio de “criaturas” imaginárias! Muito legal!

Million-Dollar-Design-17

 Vejam mais um pouquinho do trabalho desta dupla super criativa!

 

Imagens: divulgação

Genevieve Bennett

Me encantei  pelo trabalho da artista londrina, Genevieve Bennett ,pela dualidade de criar padronagens complexas em uma superfície “dura” como o couro natural. Com técnicas de gravação em alto relevo e corte a laser, a artista produz painéis modulares (30x30cm) utilizados como revestimento de paredes e pisos, cabeceiras de cama e mobiliário.

As padronagens  geométricas dão um efeito tridimensional aos painéis e suas texturas convidam ao toque. A coleção de painéis pode ser produzida em 12 diferentes padronagens e 26 cores exclusivas de couro natural tingido. Esta coleção pode ser personalizada pelo cliente, que escolhe o design, tamanho e cor dos painéis.

 

 A artista também desenvolve um trabalho mais autoral, com painéis de dimensões maiores onde a matéria-prima (couro) é cortada e esculpida à mão. São desenhos mais orgânicos, verdadeiras obras de arte.

 Vi aqui e aqui.

Imagens: divulgação

L’Occitane – Edição Limitada Karité

A marca francesa L’Occitane, acaba de lançar aqui no Brasil uma edição limitada de produtos da linha Karité, uma das mais vendidas no mundo todo. O que me chamou a atenção foram as embalagens étnicas, super transadas. Como a matéria-prima (karité) dos produtos é extraída na África Ocidental, a inspiração para a criação das padronagens das embalagens veio de um tecido artesanal típico da região, o bogolan.

Esta edição tem três aromas diferentes, também provenientes de flores originárias da África: Rosa do Deserto (Marrocos), Flor de Hibisco (Egito) e Flor de Cacau (Costa do Marfim). Então as estampas das embalagens mudam de cores para diferenciar cada aroma. Além disso, foram lançados um creme hidratante, creme para as mãos e hidratante labial.

Lindo trabalho de branding da L’Occitane!

Fotos: Divulgação

 

Catalina Estrada

Pássaros e flores são característicos nos desenhos da ilustradora Catalina Estrada. Tais elementos da natureza são parte importante de suas memórias da infância em Medellín, na Colômbia onde nasceu e cresceu. Seu rico universo imaginário serve de inspiração para criação de estampas multicoloridas com cenas vibrantes inspiradas no mundo da fantasia e dos contos de fadas.

Vivendo há alguns anos em Barcelona, a artista trilhou seu caminho como designer de superfícies. Hoje suas ilustrações aparecem nas mais diversas áreas e produtos. Já colaborou com grandes marcas como Levi’s, Paul Smith, Zara e Coca Cola; desenhou algumas capas para livros do escritor Paulo Coellho; desenvolve padronagens para roupas de cama, guarda-chuvas, malas, cadernos e até fez uma parceria com a Mercedes Benz, no lançamento de uma coleção personalizada do carro Smart.
 

Por aqui, já conhecia o seu trabalho de desenvolvimento de estampas para as coleções de moda da grife Anunciação, cuja marca registrada é exatamente o uso de tecidos estampados.

Entre os últimos trabalhos, destaque para a coleção de papéis de parede para a marca espanhola Coordonné. Um show!

Fotos: divulgação

Fitas adesivas japonesas

As padronagens podem aparecer nas mais diversas superfícies. Na área de papelaria, por exemplo, existe sempre um trabalho de design de superfícies para criar as estampas de papéis de presente, embalagens e fitas. E não é que as estampas foram parar nas fitas adesivas?

As fitas adesivas são produzidas no Japão com o tradicional papel de arroz (washi) e com uma variedade imensa de cores e estampas.

Existem algumas lojas online, inclusive, que comercializam kits com 04 ou 05 bobinas de “washi tape” dentro de uma mesma cartela de cores ou com um mix variado de estampas!

Acredito que estas fitas foram pensadas inicialmente para serem usadas no universo do scrapbooking, mas como a imaginação das pessoas não pára, nesse mundo virtual, vivo achando as famosas fitinhas japonesas coladas em objetos decorativos, em gadgets (celulares e tablets), embalagens de presentes, convites de casamento entre outros lugares.

Numa feira realizada no Japão, um dos principais fornecedores destas fitas adesivas montou uma instalação onde uma casa foi toda adesivada com as mais diversas cores e estampas. Amei!

Onde encontrar as fitas: Cute Tape, Happy Tape, MT-Masking Tape e outras lojinhas no Etsy.

Imagens: reprodução

Mumo

Descobri a Mumo não faz muito tempo e me encantei com a história da marca, que coincidentemente está ligada ao nosso país.

Fundada pela britânica Kirstin Samuel, após uma mudança radical de vida e uma temporada no Brasil, esta empresa, focada no design de produtos para o mercado de decoração, destaca-se por uma postura de responsabilidade social e ecológica.

Toda a produção, desde a matéria-prima até o produto final, é sustentável e baseada nas leis do comércio justo. O algodão utilizado, orgânico, vem da agricultura familiar no Nordeste do Brasil, transforma-se em fio por uma cooperativa de São Paulo e depois é levado ao Reino Unido para ser usado nos produtos.

Nas primeiras coleções, a equipe de criação buscou referências nas cores e padronagens brasileiras, pois de acordo com a fundadora da Mumo, Kirstin, “a moda brasileira é fantástica, diferente de tudo que vem acontecendo aqui no Reino Unido”.

Então, as estampas, com inusitados padrões geométricos e cartelas de cores vibrantes, têm nomes que remetem a lugares do Brasil, como “Leblon”, “Lapa” e “Paulistano” (desenho inspirado no calçada do aeroporto de Guarulhos) .

O mix de produtos se completa com almofadas de tecidos lisos, formando texturas diferentes e com um toque de brilho.

 Após pesquisar bastante o mercado, a Mumo busca um conceito étnico na criação de suas coleções, mas sem deixar de lado a qualidade final dos produtos. Com apenas dois anos de existência, a empresa tem marcado presença nas importantes feiras internacionais de artigos para decoração.

Li aqui e aqui.

Fotos:divulgação

Michael Lin

Michael Lin é um artista criado em Taiwan, conhecido pela exuberância de suas gigantescas instalações.  O uso de padrões inspirados em tecidos tradicionais orientais é a base de seu trabalho, que pode ser visto em museus, cafés, galerias e fachadas espalhados por diversos lugares do mundo, transformando dinamicamente a arquitetura e a forma como esses locais são percebidos pelo público.


Além de obras criadas para escalas mais monumentais, Michael Lin também já desenvolveu trabalhos menores e mais focados em design, em parcerias com marcas como Moroso e Nanimarquina (se lembram do tapete Formosa?).

O renomado arquiteto francês Jean-Marc Gady também já se uniu a Michael Lin  na criação da cenografia da festa de abertura da loja Louis Vuitton em Taipei. A festa coincidiu com o tradicional festival da lanterna e cinco lanternas gigantes foram construídas e cobertas com padronagens gráficas desenvolvidas por Lin. As portas-flor, moldadas a partir do monograma da LV referem-se também às aberturas dos grandes jardins asiáticos. O resultado foi maravilhoso!

Fotos: Reprodução e ©photothèque LV

Bryonie Porter

Bryonie Porter é uma artista que descobriu uma maneira reinventar móveis, customizando cada peça com papéis de parede. O resultado é maravilhoso, uma mistura de criação e reaproveitamento, de novo, antigo, colorido e estampado.


A preferência dessa inglesa é por lindos papéis de parede já conhecidos nossos, como os da Cole & Son, Osborne & Little e Timorous Beasties. Pouco a pouco, ela vai criando os seus próprios papéis, para fazer um trabalho mais autoral.

Transformando móveis descartados, as peças, além de decorativas, são também ambientalmente conscientes e podem ser encomendadas através do site.

Lindo né?
Fotos: Reprodução

La Banane

Um endereço secreto em meio a uma plantação de coqueiros situado na badalada ilha do caribe, St. Barts. Estamos falando do charmoso hotel La Banane.

 O La Banane, foi fundado pelo francês Jean-Marie Rivière, figura emblemática e dono de cabarés em Paris, nos anos 50. Após ser adquirido pelo investidor Jean-Marc Israël, foi todo reformulado para atender aos padrões atuais de hotéis exclusivos, mas sem deixar perder a atmosfera retrô-chique da época em que foi construído.

A construção original de madeira, típica da arquitetura caribenha, foi restaurada e recebeu o tesouro composto de peças originais de mobiliário dos anos 1950, garimpadas em leilões pelo próprio proprietário, um colecionador de mobiliário vintage. Tanto nas áreas comuns como nos nove bungalows, móveis de Pierre Jeanneret, Le Corbusier, Charlotte Perriand ganham vida, estofados por tecidos coloridos e estampados.

 

O amarelo, que remete a fruta/nome do hotel, colore as peredes do foyer, conferindo um ar de alegria e contrastando com o verde dos coqueiros e o azul da piscina ao lado.

Nos quartos reina o branco, pontuado de cores vivas como turquesa e coral. Destaque para o piso de azulejo turquesa de um dos bungalows e para os banheiros abertos com terraço privativo.

Como não podia deixar de ser, o que chamou a atenção aqui do blog, foi o trabalho de design de superfícies nas paredes do hotel, exibindo desenhos de folhagens tropicais feitos à mão, que assim como toda a comunicação visual do hotel, ficou por conta da dupla francesa Ich & Kar. Maravilhoso!!

Com tanto charme, dar vontade de conferir in loco, este refúgio tropical!

Fonte: The Cool Hunter e Casa Vogue Março 2011
 
Imagens: divulgação