Tag Archive for tecidos

Matthew Williamson para Osborne & Little

Em 2014, Matthew Williamson apresentou sua segunda coleção de tecidos e papéis de parede em parceria com a Osborne & Little.

Matthew_Williamson_osborne&little_01

Reconhecido internacionalmente pela atenção aos detalhes, por temas caleidoscópicos e um senso refinado de glamour, sua coleção teve como ponto de partida o tema ‘ilha paradisíaca’. Os tecidos e papéis de parede exibem frutas e flores tropicais, palmeiras e árvores frondosas, libélulas esvoaçantes e aves com plumagens magníficas.

Matthew_Williamson_osborne&little_03
Matthew_Williamson_osborne&little_09
Matthew_Williamson_osborne&little_10
Matthew_Williamson_osborne&little_11
Matthew_Williamson_osborne&little_12
Matthew_Williamson_osborne&little_13

Todos esses temas são representados com a paleta cromática vibrante que ajudou a construir a fama de Williamson na moda, com marca própria. Assim, as estampas incluem tons marcantes como jade, kiwi, amarelo-neon, cereja, fúcsia e azul-elétrico, adaptadas à aplicação na decoração.

No Brasil, tecidos e papéis de parede podem ser encontrados na Orlean.

Fotos: Casa Vogue #351

Miranda Green

Sempre vinculada ao mundo da decoração e do design, Miranda Green viu a oportunidade, em 1997, de trazer as grandes marcas da decoração no mundo para o Brasil. Em 1998 abriu sua loja própria em São Paulo, onde é possível encontrar grande variedade de tecidos e papéis de parede. Radicada na Argentina, Miranda Green mantém também um tradicionalíssimo endereço em Buenos Aires, no Palermo.

As coleções da marca reunem desenhos exclusivos dos mais conceituadas nomes de design de superfície do mundo, como Osborne & Little, Aldeco, Nina Campbell, Manuel Canovas, Andrew Martin e outros.

Está aí um pouquinho do que pode ser visto lá!

O endereço da loja em São Paulo é:

Rua Dr. Mello Alves 334
São Paulo CEP: 01417-010 – Brasil
Tel: (11)3088 0448
Fax: (11) 3064 6011

 

Christian Lacroix para Designers Guild

Seguindo a tendência de unir moda e decoração, a marca inglesa Designers Guild (lembram?) “levou” o espírito exuberante e inovador do estilista francês Christian Lacroix  para adornar paredes, almofadas e tapetes. Sua coleção foi inspirada em Arles, cidade do sul da França onde nasceu o estilista. “Essa cidade é a ilustração perfeita do misturar e combinar, que é também o que a marca Lacroix faz.”, diz Sacha Walckhoff, diretor artístico da empresa.

A coleção é intensa, rica, vibrante e tem referências históricas e de couture. Os contrastes que caracterizam esta região da França aparecem na variedade de desenhos. A estampa que mais gosto é a Vuelta, que evoca as flores jogadas aos toureiros de Arles, impressa digitalmente. Maravilohsa! Além de tecidos, foram desenvolvidos outros produtos para a casa, como almofadas, cortinas e tapetes. No Brasil, as peças podem ser encomendadas na Empório Beraldin.

Fonte: Casa Vogue Março 2011 e Elle Decoration UK March 2011.

Imagens: divulgação

Especial Tecidos Casa Vogue Brasil

Como falei em outro post, costumo marcar as matérias ou imagens de revistas que me interessam. Agora estou revendo estas marcações com o olhar do blog e tenho achado muito assunto interessante.

Das revistas de decoração brasileiras destaco a Casa Vogue, sempre com matérias bem produzidas e um rico conteúdo.

Esta matéria me chamou a atenção pela produção das fotos. Era um especial sobre tecidos de uma Casa Vogue Brasil de 2006.

Com edição de arte de Fabrício Rollo e fotos de Edu Girão, este especial traz imagens belíssimas. A idéia de fotografar os tecidos sobrepostos de objetos dentro do tema de cada amostra foi incrível.  Em algumas fotos, os objetos parecem “sair” das amostras de tecidos (vejam, por exemplo o tecido floral de fundo preto, fotografado com os morangos verdadeiros!). 

O resultado são arranjos que mais parecem obras de arte! (para ampliar é só clicar em cima de cada imagem da galeria)

Fotos: Casa Vogue Brasil n°248 (ano 2006)

AGain

Há 40 anos unidos pelo amor à arte e ao belo, Attilio Baschera e Gregorio Kramer ( o “A” e o “G” da AGain) têm uma elegância atemporal. A dupla esteve à frente de conhecida loja de tecidos (Larmod) por 25 anos, tornando-a uma referência de decoração no Brasil.

Again_000

Após a venda da Larmod em  1997 e um período sabático, quando viajaram pelo mundo, estudando, montando exposições, assistindo a balés e Festivais de Teatro, a dupla abriu a AGain, em 2004. Retornaram ao mercado em um casarão no bairro de Higienópolis, onde seus tecidos são distribuídos em ambientes decorados que mudam a cada coleção. A criação e o desenvolvimento dos produtos levam a assinatura de Attilio e Gregorio, em suas criações exclusivas. Na loja, encontram-se também móveis, almofadas, adornos e presentes garimpados no Brasil e ao redor do mundo.

A AGain surgiu desmistificando o conceito que para se viver bem é necessário luxo. Necessitando apenas de cultura, bom senso e simplicidade.

‘Nossos produtos possuem a identidade das culturas do Brasil e da América do Sul’, afirma Baschera, responsável pelo desenho das famosas estampas dos tecidos e complementos. ‘Sempre temos estampas étnicas. Por ano, lançamos 15 novos desenhos. Só mantemos as coleções de muito sucesso.’

Vejam um pouco da loja e dos tecidos… Pra mim, eles são referência na criação de estampas brasileiras com estilo! Adoro em especial as estampas toile de jouy de Trancoso e do Rio!

Fotos: divulgação

Quarto feliz

Olhem esse quarto de hóspedes/sala TV da casa do arquiteto Guilherme Torres! ADOREI o mix de estampas do sofá-cama de proporções generosas (2,80×1,80cm). Criação do próprio arquiteto e executado pela Jocal, o sofá-cama e as almofadas foram confeccionadas com tecidos assinados pela Marimekko e pela Missoni trazidos de Londres.

E ainda tem um cantinho verde com vasos de samambaia! Genial!

Fotos: Revista Casa Cláudia Jan.11

Print da semana: Ikat

Derivada da palavra malasiana mengikat, que significa amarrar, dar um nó, ikat é o nome de um estilo de tecer e do tecido em si _ produzido por comunidades da Ásia Central. A sabedoria consiste em tingir fios de seda ou de algodão, amarrados em “mechas” _ num processo semelhante ao tie-dye_, antes de tecê-los para formar desenhos coloridos e gráficos.

A produção de ikat explodiu no século 19, quando os países da região enriqueceram e as cidades se multiplicaram. Elétrico e vivo, o ikat era símbolo dessa energia urbana. Nas roupas, funcionava como marcador de status. Em casa, cortado em metros, decorava paredes. Em lugares como Samarkand e Bukhara, no atual Uzbequistão, e Cabul e Kunduz, no Afeganistão, bairros inteiros se dedicavam ao tingimento, à tecelagem, à amarração e ao desenho do tecido.

Pelo fato dos desenhos serem formados pelas tramas dos fios tingidos (diferente dos tecidos estampados), criam um efeito meio “manchado”, tornando cada padronagem única e vibrante!

Este tipo de tecido sempre aparece como tendência na moda e na decoração…

São aplicados nos mais diferentes produtos e reproduzidos em echarpes…

Em louças, como desse aparelho de jantar super charmoso da marca VivaTerra!

Em almofadas bem coloridas!

Esses chinelos turcos utilizam retalhos de ikats originais…

Estas bolsas da designer Madeline Weinrib, que produz os tecidos com as antigas técnicas artesanais do sudeste asiático…

Poltrona de estilo estofada com um ikat P&B+ sofá de linhas retas+ mesas de centro ebanizadas + tapete de pele de vaca + luminária retrô = decoração com bossa! Adoro!

Fotos: designboom – NJ Charters – Kay Faulkner – The Craft Begins – Elle Decor Lotus Haus – Daniela Brum – Patch NYC – VivaTerra – Wallace Cotton – Hanimefendi – Madeline Weinrib – design babylon interiors

Retro Print Revival

Eu conheci o trabalho da Tamara Watts por acaso e logo me apaixonei pelas suas criações. Além de ter o site mais bacana de todos os tempos, ela faz um trabalho super original e colorido.

Tamara adora produtos com cara de retrô e desejava criar algo utilizando tecidos vintage, desde os florais dos anos 60 aos geométricos dos anos 70. Assim, ela passou a produzir cúpulas para luminárias e a vendê-las como peças de decoração. Com a experiência adquirida com cursos de Visual Merchandising e Decoração de Interiores, ela considera cuidadosamente os elementos de cor e design de cada padrão de tecido e a base da luminária para criar uma composição harmoniosa e moderna.

São muitas as combinações, apesar de que as luminárias nunca são feitas em larga escala. Como a Retro Print Revival fica na Austrália, fica uma dica de como deixar a casa com um toque personalizado! Vamos buscar algo semelhante por aqui?

Fotos: www.retroprintrevival.com

Print da semana: Unikko

Unikko é a mais emblemática estampa da marca Marimekko. Ela foi criada por Maija Isola, pioneira designer finlandesa, como um protesto contra a declaração de Armi Ratia, criador da marca, de que a Marimekko não fabricava estampas florais.

A Unikko surgiu em 1964, um padrão com um toque pop, colorido, impactante e chamativo, que inaugurou uma nova era da Marimekko, cuja popularidade só aumentou com o tempo.

Novas paletas de cores são criadas a cada ano para a Unikko, dando continuidade ao legado do design brilhante de Isola. Atualmente, Kristina Isola segue os passos da mãe e desenvolve seus próprios projetos e trabalhos como designer gráfica, além de ser a responsável pelas adaptações dos antigos padrões, com destaque para o Unikko.

Existem diversos produtos que são comercializados hoje em dia com a famosa estampa, que dá sempre um toque de graça aos objetos… na verdade, na loja online Marimekko é possível comprar todos os tipos de produtos – incluindo papel de parede, cortinas, toalhas, bolsas, bules, e até mesmo meias e guarda-chuvas!

Em 2009, a Avon criou uma série de cosméticos com a estampa, que foi adaptada!

E vocês, gostam?

Fotos: Reprodução

Cabeceira…

Combinação perfeita de cores e estampas! Um quarto para sonhar!!!! Adoro!

Revista House&Garden UK  Abril 2010