Tag Archive for loja

Ferm Living

Quando a designer dinamarquesa Trine Andersen abriu sua agência de design gráfico em 2005 nunca imaginaria que um dia ela se transformaria numa pequena fábrica de produtos para decoração de interiores. 

O primeiro insight veio quando Andersen resolveu redecorar a sua casa usando papéis de parede que ela procurava em casas de segunda-mão e também em lojas especializadas. Quando encontrava alguma estampa incrível, era sempre com preço elevado. Foi aí que ela resolveu usar suas habilidades gráficas para produzir estampas e padronagens para compor papéis de parede, adesivos e peças decorativas. 

A ideia cresceu e a agência acabou se transformando na “Ferm Living”, que hoje vai além das estampas gráficas e produz também itens para cozinha e uma linha para crianças. Baseada em Copenhagen, hoje a marca possui também lojas virtuais nos Estados Unidos e Austrália, entre outros países. 

Adoro em especial a combinação de cores das estampas e objetos, com uma influência do design escandinavo! Além disso, é muito legal o fato de lançarem coleções coordenadas, onde a mesma estampa e cartela de cores se repete no papel de parede, almofada, louças e acessórios. 

Vejam mais imagens da última coleção… 

AGain

Há 40 anos unidos pelo amor à arte e ao belo, Attilio Baschera e Gregorio Kramer ( o “A” e o “G” da AGain) têm uma elegância atemporal. A dupla esteve à frente de conhecida loja de tecidos (Larmod) por 25 anos, tornando-a uma referência de decoração no Brasil.

Again_000

Após a venda da Larmod em  1997 e um período sabático, quando viajaram pelo mundo, estudando, montando exposições, assistindo a balés e Festivais de Teatro, a dupla abriu a AGain, em 2004. Retornaram ao mercado em um casarão no bairro de Higienópolis, onde seus tecidos são distribuídos em ambientes decorados que mudam a cada coleção. A criação e o desenvolvimento dos produtos levam a assinatura de Attilio e Gregorio, em suas criações exclusivas. Na loja, encontram-se também móveis, almofadas, adornos e presentes garimpados no Brasil e ao redor do mundo.

A AGain surgiu desmistificando o conceito que para se viver bem é necessário luxo. Necessitando apenas de cultura, bom senso e simplicidade.

‘Nossos produtos possuem a identidade das culturas do Brasil e da América do Sul’, afirma Baschera, responsável pelo desenho das famosas estampas dos tecidos e complementos. ‘Sempre temos estampas étnicas. Por ano, lançamos 15 novos desenhos. Só mantemos as coleções de muito sucesso.’

Vejam um pouco da loja e dos tecidos… Pra mim, eles são referência na criação de estampas brasileiras com estilo! Adoro em especial as estampas toile de jouy de Trancoso e do Rio!

Fotos: divulgação

Taschen New York

Quando a Taschen, cultuada editora de livros de design, moda, artes e arquitetura, resolveu abrir livrarias em algumas cidades do mundo, chamou o badalado designer Philippe Starck  para criar suas lojas.

O designer francês foi o autor das livrarias de Paris, Los Angeles, Colônia, Nova York, Londres, entre outras cidades. Estas  lojas têm em comum, além da  área de exposição de livros no andar principal, um espaço que funciona como galeria de arte.

A loja de Nova York, situada no Soho, vale uma visita!!

O que chama a atenção dessa loja são os murais pintados pela brasileira Beatriz Milhazes. Conhecida pelos (belíssimos) quadros repletos de motivos tropicais, a artista plástica levou suas cores para as paredes da livraria!

Achei muito bacana também o desenho dos expositores cujos suportes metálicos parecem “nascer” do piso  em cimento natural!

 

A galeria de arte, no andar inferior, tem pé-direito duplo e iluminação zenital!

Detalhe para o mobiliário (sofá com assento e encosto de palhinha) do também brasileiro Joaquim Tenreiro, acervo do dono da Taschen.

Os mural do fundo da loja é maravilhoso!

E vejam que até o escritório teve uma de suas parede assinada pela Beatriz Milhazes… Um luxo!

Villa Moda

A Villa Moda é uma loja multimarcas de luxo, que pertence a um sheikh do Bahrain. Seu interior, projetado pelo designer holandês Marcel Wanders, foi inspirado nos tradicionais souks (mercados) árabes.

O trabalho do designer, fundador e diretor criativo da marca Moooi, é caracterizado pelas superfícies bem trabalhadas com uma influência meio barroca.

E neste showroom não foi diferente. Vemos carpetes estampados, paredes com apliques florais gigantes, uma divisória que reproduz motivos dos mosaicos árabes e tem fundo espelhado… Aqui parece até haver a intenção de criar uma decoração um pouco over, equilibrada pela cartela de cores em P&B, com algumas gamas de cinza.

Adorei este enorme pendante que “coroa” o espaço central da loja! Um luxo!

Vi aqui !

Seletti

Para quem não conheçe, a Seletti é uma marca italiana de produtos muito descolados para a casa. Suas coleções são criadas por uma equipe de designers, o Selab, antenados com tudo o que acontece no mundo da moda, das artes, do design gráfico e outras fontes. O resultado destas idéias são produtos divertidos e originais para um comsumidor que tem personalidade.

Ficou até difícil selecionar alguns produtos do último catálogo para mostrar aqui!

Eu conheci a marca com a linha de mobiliário chamada Trip Furniture, cujo conceito/brincadeira era “levar” as estampas (listras, poás, pied-de-poule, etc) para “passear” pelas tradicionais cômodas, cadeiras, armários. Amei!!!!

Depois começei a pesquisar mais sobre eles e vi que realmente são muito criativos!

Eles desenvolveram toda uma linha de produtos inspirados na escala de cores Pantone…

No Salão de Milão 2010 lançaram uma linha de móbiliário componível, cuja cara lembra muito aqueles arquivos metálicos usados antigamente, só que com cores e formatos super atuais!

Adorei também as luminárias…

E estes capachos de metal para colocar na entrada da casa?

Tem também estes módulos que voçê compõe/ajunta da forma que quiser… Olhem o detalhe do fundo em tricot!!!

Tem “letras” para “pendurar” pela casa: iluminadas, metálicas, de madeira, de espelho…

E as porcelanas moderninhas com as “asas” pintadas em cores fluorescentes?

Não falei que fica difícil fazer uma seleção dos produtos? Deu vontade de ter tudo! rsrsrs

Fotos: divulgação Seletti

Cantão

A estamparia e, principalmente, a variedade de cores sempre foram importantes características do estilo da Cantão, uma das grifes mais tradicionais da cena carioca. Hoje, no penúltimo dia de Fashion Rio, a marca reafirmou seu espírito supercolorido, desfilando sua coleção para o inverno 2011 no Parque Lage.

Desta vez, as estampas multicoloridas foram feitas em parceria com a artista plástica norte-americana Maya Hayuk, que também assina a cenografia do desfile, colorindo de pink e laranja as árvores em volta da passarela.

A cartela de cores inclui cereja, pink, grafite, azul piscina, menta, açafrão, preto e tangerina. A estamparia abusa de referências gráficas e orgânicas e a coleção tem uma clima de streetwear com uma pitada de anos 80. A Cantão ainda trouxe o brilho dos bordados, do tricô grosso cinza com lurex, o romantismo da estampa florais estilo Liberty e o clássico pied-de-poule. Além disso, o raio, símbolo do Cantão nos anos 80, volta em algumas peças.

Para saber mais, entrem no site!
E vejam que bacana a imagem de divulgação da própria Maya Hayuk aqui!

Fonte: UOL e GNT
Fotos: Alexandre Schneider/UOL

MoMa Store e Frank Lloyd Wright

Descobri aqui que a loja de design do Museum of Modern Art, de Nova York, chegou ao Rio de Janeiro!!! Segundo li, é um cantinho, um corner da loja Finish do CasaShopping, na Barra da Tijuca. Mas já é algo né?

Eu, que adoro lojinhas de museu, fui dar uma olhadinha no site para ver se achava coisas bacanas e o que mais me chamou atenção foram os produtos com estampas inspirados em desenhos de vitrais feitos pelo arquiteto americano Frank Lloyd Wright.

Neste guarda-chuva, o padrão capta o espírito do desenho dos vitrais nos quais se baseou. O desenho original é de uma borboleta abstrata que Frank Lloyd Wright  concebeu em forma de leque para a entrada da Casa de  Susan Lawrence Dana, de Springfield, Illinois,  em 1902.

Já este é um elegante padrão geométrico de flores e folhas de lírios que flutuam em uma piscina. É uma adaptação de uma janela de chumbo e vidro não realizada, desenhada por Wright no período de 1893 a 1895.

E existe a opção echarpe também! Maravilhosa!

Bom gosto e desenhos super característicos bem ao nosso alcance!

Fotos: MoMa Museum

Granado

Acabei de chegar do Rio, que por sinal continua maravilhoso. Passeando pelo Leblon (adoro!), encontro uma Granado, que lojinha fofa!

A Granado, a mais antiga “botica” do Brasil (fundada em 1870), era conhecida apenas pelo tradicional “polvilho antisséptico” para os pés. Mas após sua venda em 2000 e de um primoroso trabalho de reposicionamento da marca no mercado nacional, iniciada com o lançamento de novas embalagens do polvilho e a reforma da primeira loja no centro do Rio, a Granado “ficou na moda” de novo. E logo depois a Phebo, que foi comprada pelo mesmo dono, também ressurgiu com tudo.

Hoje a linha chega a quase trezentos produtos, sendo a maioria relançamentos, e o faturamento só tem crescido a cada ano.

As lojas próprias tem uma ambientação que resgata a atmosfera das antigas boticas com pisos em ladrilho hidráulico, paredes de tijolos aparentes e grandes armários de madeira de demolição para expor toda a linha de produtos. Vale a pena uma visita ( são quatro lojas no Rio, duas em São Paulo, uma em Bélem e Brasília)! O difícil é sair de lá sem comprar alguma coisinha…

As embalagens (Adoro!!) são um capítulo a parte, a maior parte delas faziam parte do acervo e estão sendo reeditadas a medida que novos produtos são lançados!

        

A linha Pink, foi criada com foco na mulher moderna e feminina, com produtos exclusivos como esfoliantes, escalda-pés e o polvilho antisséptico cremoso.

Olha essas necessaires com estampas de embalagens e posteres antigos! Amei!!!

 E agora lançaram a linha Vintage, com cinco aromas diferentes de sabonetes, hidratantes e difusores, todos com embalagens retro, um charme…

Os produtos Phebo também são encontrados nas lojas, com destaque para os produtos desenvolvidos pela estilista Isabela Capeto…

         

E a linha Premium, com vários produtos diferenciados como os sabonetes que são embalados individulamente com papel de seda de cores vibrantes! Não dá vontade de adquirir tudo? E embora não ainda não tenham loja em BH, a boa notícia é que tanto a Granado quanto a Phebo têm lojas virtuais!

        

 Fotos: divulgação

It

Outro dia me deparei com as fotos do projeto do It Bistrô, um restaurante de Recife, que fica dentro da loja multimarcas Dona Santa | Santo Homem. O projeto tem a assinatura da dupla de arquitetos Santos&Santos e conta também com a colaboração do pessoal do Mooz, escritório de design e ilustração de Recife, que desenhou a ilustração do teto e foi responsável também pela identidade visual do lugar.

A proposta é super diferenciada: a mesa comunitária listrada (a única!) é o ponto focal do restaurante e o mix de padronagens em preto e branco dá um ar diferente e moderno! Ainda não descobri se é pintura automotiva ou adesivo mas ficou demais, né?

Realmente é it!

Fotos: do Mooz e daqui

Urban Outfitters

Em 1970, Richard Hayne, 23 anos, formado em antropologia, começou a vender roupas com um toque de boemia e coisinhas antigas em uma pequena loja na Filadélfia, Pensilvânia. Com o tempo, seu modesto negócio cresceu para se tornar a Urban Outfitters, uma empresa de capital aberto que possui e opera cinco marcas de varejo: Urban Outfitters, Anthropologie, Free People, Terreno e Leifsdottir. Atualmente, a linha de produtos tem evoluído a partir de inspirações bem humoradas , fofas, vintage, boêmias, retrô e kitsch para incluir marcas de luxo e diversas colaborações de nomes do design.

Em 2004, surgiu a idéia de criar uma espécie de “campus unificado” já que um parque comum de escritórios não era uma opção: Hayne queria um lugar condizente com o espírito das suas mercadorias! Assim, adquiriu cinco prédios abandonados no Philadelphia Navy Yard e contratou o escritório de Minneapolis Meyer, Scherer & Rockcastle para transformar as estruturas abandonadas em um ambiente inspirador para cerca de 600 funcionários.

Os arquitetos tiveram vários princípios orientadores para o projeto de 285 mil metros quadrados, começando por deixar as cicatrizes dos edifícios: aço, pintura e elementos enferrujados permaneceram, e um amplo material foi reutilizado. Outra prioridade foi garantir que cada escritório e estúdio de design promovessem a criatividade. Em todos os cinco edifícios, os interiores possuem layout aberto, são repletos de luz e possuem um ambiente descontraído, uma atmosfera quase informal. Os tecidos são utilizados em larga escala e realmente transmitem o conceito da companhia.

O projeto em si é maravilhoso, que fez uma síntese ultra bem-sucedida entre arte, cultura, arquitetura, design e tecnologia e tem impactado positivamente todo o Navy Yard. Um bairro novo e criativo, com agências de publicidade, designers gráficos e fotógrafos está crescendo ao redor do varejista.

Por essas e por outras que a Urban é a Urban.

Fotos: Reprodução
Mais aqui e aqui.